HOME / Matéria / Começando tudo, de novo

Começando tudo, de novo

28/12/2015
Araraquara / SP
Wilson Silveira Luiz
Foto: Jonas Bezerra/arquivo

A AFE, desde 1996, alijada dos principais postos do futebol paulista e brasileiro, está de volta ao Grupo de Elite.

A meta agora, é lutar para permanecer nesse Grupo para resgatar a sua história, perante os torcedores de Araraquara, do Estado e do País.

O presidente, o engenheiro Carlos Alberto Salmazo, graças às suas características de homem sereno está provando por A mais B, que nem sempre a ligação política é boa.

Salmazo é afeano de nascimento e tem como objetivo principal contribuir para esse resgate.

Nos dias atuais, com raríssimas e honrosas exceções, a política é nefasta, apesar de necessária em alguns pontos.

E vem aquela historinha que fala sobre o reencontro de três amigos, que não se viam, há mais de 30 anos. Reunidos na mesa de um bar, entre uma cervejinha e outra, cada um contou a sua história.

O primeiro a falar, relatou que havia se casado, tinha um filho, mas que ainda não havia tido o privilégio de ser avô, pela maneira esquisita de vivência do seu descendente.

O segundo disse quase que a mesma coisa – tinha uma filha só, mas que também tinha comportamento diferenciado.

O terceiro amigo, entre um golinho e outro de cerveja, falou acabrunhado: Puxa-vida, o meu caso é pior.

– Por que? Perguntaram em uníssono os 2 amigos.

– É que, disse ele, eu tenho um filho só, e pasmem, é político.

Salvaguardadas as honrosas exceções, ele se confessava triste por ver seu filho nessa prática vexatória que é o mundo político. Um mundo de trocas e barganhas, vergonhosas. Sempre lembrando aqui no texto que existem honrosas e raríssimas exceções.

Voltando a falar do Salmazo, ele é destaque porque reivindica o que é bom pra AFE, sem se envolver em política.

Seguindo nesse rumo, tenho certeza que ele vai tirar “leite de pedra” ou vai comer melado, sem se lambuzar.

Torno a repetir para que não pairem dúvidas. Na política, existem poucas, mas existem também pessoas honestas.

Que a carapuça seja vestida dentro das medidas de cada um dos envolvidos. Não generalizem, por favor!

Galeria de Fotos

Comentário(s) - 0

Seja o primeiro a comentar.