HOME / Notícia / Pio, o inesquecível ponta-esquerda do futebol brasileiro

Pio, o inesquecível ponta-esquerda do futebol brasileiro

18/01/2016
Araraquara / SP
Jonas Bezerra
Foto: Arquivo pessoal

Reproduzimos aqui a matéria que realizamos com um dos grandes nomes do futebol brasileiro, Osmar Alberto Volpe, o Pio, publicada na versão impressa do Portal Esporte & Lazer, em abril de 2015. Uma homenagem já que no ano passado foi um ano inesquecível para ele: Ferroviária e Santa Cruz de Recife subiram e o Palmeiras foi tricampeão da Copa do Brasil.

Araraquarense escreveu o seu nome na história dos grandes clubes de futebol brasileiro. Filho de Miguel Volpe Neto e Judith Martins Volpe, ele iniciou sua carreira em equipes amadoras de sua terra natal: Santana FC e ADA (Associação Desportiva Araraquara).

Osmar Alberto Volpe, o conhecido Pio, foi um dos principais pontas-esquerdas do país. Sua carreira esportiva começou ainda nos clubes amadores de Araraquara, jogando respectivamente no Santana FC, ADA (Associação Desportiva Araraquara) e depois nas categorias de base da Ferroviária, time que se tornaria um dos maiores craques de sua história. Mas antes de tudo acontecer, em 1963, Pio serviu o Exército no Batalhão da Guarda Municipal, em Brasília.

Sua história inicia na Ferroviária, em 1964. Em 1965, quando a equipe é rebaixada, se profissionaliza. Pio foi um dos responsáveis pela volta da equipe a principal divisão do futebol paulista no ano seguinte. Ainda pela equipe grená, foi tricampeão paulista do Interior (1967, 1968 e 1969).

Já no Palmeiras, quando integrou uma equipe que estava sendo reformulada e foi considerada a Segunda Academia, conquistou no primeiro ano o Torneio “Roberto Gomes Pedrosa”, o que seria o atual Campeonato Brasileiro, campeão Brasileiro invicto em 1972, quando venceu igualmente o campeonato Paulista, a Taça do Atlântico na Argentina, a Taça Laudo Natel, a Taça dos Invictos e foi bicampeão Brasileiro em 1973. E no mesmo ano mágico de 1972, Pio, como atacante do Verdão sagrou-se também campeão do Troféu Ramón de Carranza, na Espanha.

“Foi um momento especial para mim. Conquistei vários títulos e joguei com grandes jogadores como Luís Pereira, Ademir da Guia, Dudu, Leão, Fedato, Leivinha, César Maluco entre muitos outros”, relembra Pio casado com Ana Lúcia, e pai de Alexandre, Luciana e Liliane e avô de Marcelo, Ana Lúcia, Júlia e Laura. Ao todo, foram 188 jogos pelo Verdão (101 vitórias, 58 empates e 29 derrotas) e 29 gols marcados.

Pio relembra emocionado que, recentemente, visitou o clube do Santa Cruz, e foi homenageado pelo time pernambucano. “Foi em dezembro do ano passado. Eu e minha esposa estávamos em Recife a passeio e resolvemos visitar o clube. Fiquei admirado pela receptividade. Depois de quase 40 anos, os diretores fizeram uma grande festa. Esta é a minha alegria no futebol. Este carinho e consideração”, frisa.

Pio defendeu o Santa Cruz nos anos de 1974 a 1977. Em 1975, conquistou o bi supercampeão e o pentacampeonato estadual. Foi considerado o melhor jogador de sua equipe. “Tínhamos uma grande equipe. O nosso querido Mazinho, que hoje é araraquarense de alma, Levir Culpi e Lula Pereira.

Pio esteve também no Colorado de Curitiba de 1979 a 1981, na São-carlense, em 1981, e no Novorizontino, em 1982, onde encerrou a brilhante carreira.

Fora do futebol

Pio sempre foi um vencedor, quer na função de professor da Unesp, diretor de Esportes de Américo Brasiliense ou ainda vitorioso coordenador da Fundesport. E entre as grandes marcas, destaca-se o de campeão geral dos Jogos Regionais da 5ª Região Esportiva, no ano de 2013, em Araraquara.

Em 2005, Pio foi o professor homenageado pela IX Turma de Administração Pública da Unesp. Os formandos, como de resto toda a sociedade araraquarense, têm profunda admiração pelo caráter de Osmar Alberto Volpe, o inesquecível e-ponta-esquerda do futebol do Brasil.

Clubes que defendeu como atleta amador:

ADA (Associação Desportiva Araraquara); Santana FC; e, AFE (Associação Ferroviária de Esportes0; todos de Araraquara.

Agremiações que atuou como profissional:

1966/1969: Associação Ferroviária de Esportes (Araraquara/SP); 1969/1974: SE Palmeiras (São Paulo/SP); 1974/1977: Santa Cruz (Recife/PE); 1977/1978: Colorado FC, hoje Paraná Clube (Curitiba/PR); 1979/1980: GE São-carlense (São Carlos/SP); e, 1981- GE Novorizontino (Novo Horizonte/SP)

Galeria de Fotos

Comentário(s) - 0

Seja o primeiro a comentar.